28 de agosto, um dia de luta

28 de agosto, um dia de luta

Em 28 de agosto de 1951, os bancários de São Paulo deram início a uma greve histórica. O sindicato reivindicava reajuste de 40% nos salários, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço para a categoria, mas os banqueiros não mostravam interesse em negociar. Diante da intransigência, a greve foi a difícil e importante

Em 28 de agosto de 1951, os bancários de São Paulo deram início a uma greve histórica. O sindicato reivindicava reajuste de 40% nos salários, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço para a categoria, mas os banqueiros não mostravam interesse em negociar. Diante da intransigência, a greve foi a difícil e importante alternativa para os trabalhadores. Reprimido pela polícia e boicotado pela mídia, o movimento durou 69 dias.

A luta gerou conquistas. Os bancários conseguiram aumento de 31% e o reconhecimento da importância de movimentos grevistas, apesar das inúmeras retaliações dos banqueiros contra os trabalhadores que lutavam por seus direitos.

Greve de bancários de 1951O sucesso dessa e de outras greves do período e a organização dos trabalhadores colocou em xeque a Lei de Greve de 1946, do governo Dutra, que colocava todas as restrições possíveis e imagináveis ao direito à greve.

A transferência de lideranças para o interior do estado, como forma de retaliação, resultou na criação de sindicatos de bancários em várias outras cidades. E, em 1955, a partir da iniciativa dos bancários, nasceu o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos (Dieese). O instituto, fruto da articulação de entidades sindicais, foi criado para gerar dados confiáveis e contrapor os então manipulados índices oficiais de custo de vida.

Faculdade 28 de Agosto

A data é tão marcante que o 28 de agosto virou o Dia do Bancário e, em 2015, deu nome à faculdade criada pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região e pela Federação dos Trabalhadores em Empresa de Crédito do Estado de São Paulo (Fetec), como homenagem à importante luta travada nos anos 1950.

“O dia 28 de agosto representa o reconhecimento dos bancários como categoria. Para o sindicato, essa data é tão importante que a escolhemos para representar aquilo que pensamos sobre o ensino: qualidade com uma formação mais humana”, diz Érica de Oliveira Batista, diretora geral da Faculdade 28 de Agosto.

De fato, o diferencial da 28A é oferecer uma visão de mundo multifacetária e plural. Tanto o curso de graduação em Administração quanto os cursos livres e os de formação e a pós-graduação, que será lançada em breve, são forjados de forma a permitir que o aluno seja o sujeito de sua própria realidade.

redacao
ADMINISTRATOR
Perfil

Receba nossa newsletter